Seminário internacional da noz pecan pode ocorrer em 2014 em Anta Gorda.

Seminário internacional da noz pecan pode ocorrer em 2014 em Anta Gorda

Entre os dias 13 e 18 de março, o prefeito de Anta Gorda, Neori Luis Dalla Vecchia,
juntamente com o chefe da Emater do município, Fernando Selarayan, o engenheiro
agrônomo ­­­Júlio Medeiros e os empresários da Agroindústria e Viveiros Pitol, Leandro e Lênio Pitol, participaram do 10º Congresso Internacional de Nogalero (Noz pecan), na cidade de Saltillo,
província de Coahuila, no México. O Rio Grande do Sul também esteve representado por uma equipe da Universidade de Santa Maria (UFSM) que, através de uma palestra do antagordense Tales Poletto, expôs sobre a produção de nozes no Brasil.

O México, ao lado dos Estados Unidos, é o berço das nozes, tendo a irrigação como aliada à produção. O prefeito Neori faz um comparativo falando do volume de chuvas, diz que o Brasil tem a vantagem de registrar volumes de aproximadamente mil milímetros ao ano, enquanto os
mexicanos registram apenas trezentos. “Se hoje a produção deles é mais avançada
é porque há anos de estudos por trás. Se nós aqui soubermos aproveitar a chuva
da maneira correta, podemos avançar muito”, conclui Dalla Vecchia.

Sobre os incentivos à produção em Anta
Gorda, o prefeito Neori diz que volta da viagem muito mais convicto de que vale
a pena investir. “A própria iniciativa da família Pitol está entusiasmando
outros antagordenses a iniciarem com outras agroindústrias”, afirma. Neori
também lembra que, em abril de 2014, ocorre, em Anta Gorda, a 5ª FestLeite e o
ramo terá novamente seu espaço no salão da gastronomia e nos seminários, com o
3º Simpósio da Noz Pecan e a possível realização do 11º Congresso Internacional
da Noz Pecan. “Nossa viagem também nos trouxe bons contatos e, ainda não está certo,
mas tudo está sendo providenciado para o seminário internacional ocorrer aqui”,
acrescenta o prefeito.

Anta Gorda e o pioneirismo

Dalla Vecchia conta que, na década de
70, Anta Gorda ostentou o título de capital nacional da nogueira pecan. O
primeiro prefeito da cidade, Arminho Miotto, introduziu o cultivo, acreditando
ser uma alternativa de renda aos produtores. Conforme registros da história, ele foi o primeiro incentivador da cultura no estado. Anos depois, doenças começaram a atingir as nogueiras, fazendo com que os antagordenses deixassem de lado a produção. Nos últimos anos, os plantios foram retomados, embasados em variedades mais produtivas e resistentes, e a noz pecan voltou a ser evidência em Anta Gorda. “Acreditamos no potencial das nozes e vamos lutar para que a
história e a contribuição de Miotto seja reconhecida”, conclui.

Atualmente há, em Anta Gorda, 300 hectares de nogueiras em produção e outros 700 em fase de crescimento. Segundo a Emater e o IBGE, 90 mil kg de nozes são colhidas ao ano, estando 235 famílias envolvidas na produção. A Agroindústria Pitol industrializa produtos à base de
nozes pecan (naturais, doces e salgadas), atendendo aos turistas, em geral, com
a venda de seus produtos.

Data de publicação: 25/03/2013

Créditos: Morgana Colombo

Compartilhe!