Normalizar os critérios técnicos de licenciamento ambiental e florestal e discutir, em conjunto, casos específicos sobre o meio ambiente.

Biólogas Elizane, Vanessa e Ana Lúcia em um de seus encontros, no mês de agosto

Normalizar os critérios técnicos de licenciamento ambiental e florestal e discutir, em conjunto, casos específicos sobre o meio ambiente, são os motivos que levaram as biólogas Vanessa Dametto Lazzari, de Anta Gorda, Ana Lúcia Sonda, de Doutor Ricardo, e Elizane Provensi, de Ilópolis, a formarem um grupo de trabalho. A partir da publicação da resolução 288/2014 do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), os municípios receberam mais autonomia e seu rol de licenciamentos aumentou.

“Muitas atividades que antes eram isentas de licenciamento agora precisam como, por exemplo, oficinas mecânicas, clínicas médicas, farmácias, metalúrgicas e o comércio, em geral. A resolução exige de todos controle e compensação ambiental”, explica Vanessa. Levando isso em conta, desde o início de 2015, as três biólogas passaram a reunir-se mensalmente para, juntas, alinharem suas tarefas. Elas discutem casos específicos e elaboram formulários para facilitar a burocracia dos interessados.

Ana Lúcia diz que a iniciativa está sendo válida. “Muitas vezes, o processo demorava para ser liberado por falta de documentos ou informações. Com os formulários, que disponibilizamos nos sites dos municípios, os usuários sabem exatamente o que devem apresentar e os prazos que precisam seguir”. Elizane concorda e destaca que o trabalho já vem gerando resultados visíveis. “A agilidade é o ponto principal. Adequamos os critérios à nossa realidade regional e, não apenas nosso trabalho, como também o dos usuários ficou mais prático”, relata.

Quem tiver interesse em consultar os formulários ou obter mais informações pode acessar os sites de qualquer um dos três municípios, ou contatá-las junto aos departamentos de meio ambiente.

 

Data de publicação: 02/09/2015

Compartilhe!