Apesar de o Rio Grande do Sul não ter mais casos registrados de Febre Aftosa desde 2006, o Estado continua realizando a vacinação e isso impacta diretamente nas exportações de carne bovina do Estado.

Apesar de o Rio Grande do Sul não ter mais casos registrados de Febre Aftosa desde 2006, o Estado continua realizando a vacinação e isso impacta diretamente nas exportações de carne bovina do Estado.
O secretário de Agricultura Joelmo Balestrin acredita que o Estado já poderia ter parado de vacinar, mas há um entendimento da Inspetoria Veterinária de que é necessária a vacinação, mesmo que oficialmente o RS não registre casos há anos. Em função disso, o período de vacinação foi antecipado e inicia no dia 16 de março até 14 de abril.
O secretário da Agricultura Joelmo Balestrin espera que este ano o Brasil esteja imune e assim aumente a qualidade, valor e exportação do produto.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Data de publicação: 13/03/2020

Compartilhe!