Secretaria da Saúde precisa observar os parâmetros estaduais para a divulgação

A forma como os casos de Covid-19 tem sido divulgados em Anta Gorda tem gerado alguns questionamentos entre a população e até algumas acusações e suposições injustas e infundadas.
O médico Vicente Comandulli Garcia que atua na Medicina Preventiva e Social na Secretaria Municipal de Saúde e Hospital Padre Hermínio Catelli de Anta Gorda, esclareceu algumas dúvidas acerca dos casos confirmados no município.
Segundo Garcia, o município de Anta Gorda divulgou que quatro casos confirmados da Covid-19 já eram considerados curados, porém, apenas os dois primeiros foram divulgados publicamente logo que testaram positivo e ficaram em isolamento. Os dois últimos casos tiveram conhecimento da população somente quando foram curados, o que causou estranheza. “Estes dois casos recentes de curados são situações distintas. A primeira situação refere-se a um indivíduo que realizou o teste rápido em Lajeado, na Univates, por conta própria. Ou seja, não procurou a Secretaria com sintomas e por isso, não passou por um procedimento padrão, o que foge do alcance da Secretaria. Após o resultado positivo, soube-se que se tratava de IGG, que são o que chamamos de anticorpos de memória. Significa que a pessoa apresentou contato com o microrganismo, mas teve resolução do quadro e adquiriu imunidade. Porém, não foi divulgado previamente o resultado devido a orientação da 16ª Coordenadoria de Saúde, uma vez que na ocasião os testes rápidos não preenchiam requisitos do ICQS (controle de qualidade). Assim, após nova orientação da coordenadoria e resolução da Secretaria Estadual de Saúde, passou-se a contabilizar estes casos e a divulgar o resultado, uma vez que fora validado o teste, neste momento o paciente já havia realizado isolamento prévio por conta de viagem realizada e já não apresentava mais sintomas”, informou o médico.
Já o último caso trata-se de uma pessoa que realiza tratamento para sua enfermidade em Lajeado, onde fez o primeiro teste no Hospital Bruno Born e testou positivo com IGG, ou seja, foi constatada a presença de anticorpos no organismo da paciente, o que indicaria que o caso já estaria curado também.
É importante frisar, segundo o médico, que os testes rápidos têm duas variáveis, uma que identifica o vírus ativo no organismo e outra que identifica os anticorpos, indicando que o indivíduo teve contato com o vírus, mas já está curado.
Como esta paciente apresentou uma instabilidade de sintomas (estando um dia com mais sintomas, outro melhorando) a Secretaria da Saúde de Anta Gorda optou por realizar um novo exame, desta vez um RT-PCR no Lacen e este exame apresentou resultado reagente indicando que o vírus está ativo no organismo.
Por isso, a paciente foi retirada da classificação de curada para a classificação de confirmada.
“Ou seja, em momento algum a Secretaria da Saúde deixou de realizar seu trabalho ou falhou em seus registros. Muito pelo contrário, posso afirmar com toda a certeza que a Secretaria Municipal de Saúde de Anta Gorda é uma das mais bem organizadas e estruturadas da região para atender aos pacientes da Covid-19. Inclusive zelando pela saúde dos demais pacientes atendidos na Secretaria, uma vez que uma estrutura paralela foi montada ao lado da Secretaria para atender os indivíduos que chegarem à Secretaria com sintomas, profissionais foram treinados e orientados sobre procedimentos, EPIs foram comprados e um amplo trabalho de orientação e prevenção vem sendo realizado junto a toda a comunidade”, defendeu o médico.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Data de publicação: 29/05/2020

Compartilhe!