Após o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconhecer, na última semana, a situação de emergência em 93 municípios do país causada pelo longo período de estiagem.

Após o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconhecer, na última semana, a situação de emergência em 93 municípios do país causada pelo longo período de estiagem, produtores rurais se organizam para serem beneficiados com o auxílio federal onde prefeituras poderão ter acesso a recursos da União para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais à população e recuperação de infraestruturas públicas danificadas.
O apoio emergencial por meio do MDR é complementar à atuação dos governos estaduais e municipais. O auxílio pode ser solicitado sempre que necessário – inclusive em situações recorrentes, como é o caso de desastres ocasionados por seca ou chuvas intensas. Entre os 32 municípios gaúchos contemplados com a medida da Defesa Nacional, está Anta Gorda, que registrou perdas significativas em diversas culturas e também falta de água para consumo humano e animal.
A iniciativa foi da Administração Municipal junto ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) que buscou ajuda de órgãos superiores ao constatar os prejuízos ocasionados pela seca por meio de um decreto de situação de emergência. “A resolução 4.802 do Banco Central do Brasil (Bacen) beneficia os agricultores prejudicados com a estiagem. Anta Gorda recebeu a notícia de que está enquadrada neste benefício e por isso, já existe uma força tarefa entre Sicredi e STR que estão organizando tudo”, destaca a prefeita Madalena Gehlen Zanchin.
O gerente da agência Sicredi de Anta Gorda, Márcio Roberto Bresciani, explanou com detalhes a resolução do Bacen. “A resolução 4.802 permite que produtores que sofreram perdas com a estiagem, se beneficiem, conforme sua necessidade, com a prorrogação das parcelas de investimento para o final do contrato, havendo a necessidade de pagar os juros no vencimento. Com relação ao custeio existe também a possibilidade de prorrogar, sendo a situação do custeio analisada de forma individual, até pelo fato de boa parte das operações contarem com seguro agrícola para minimizar as perdas. O Sicredi priorizou a agilidade nas análises do seguro, sendo que no município de Anta Gorda, 90% dos casos já foram finalizados, gerando indenizações no volume de R$ 2,36 milhões, a 186 produtores, recursos que ajudam a amenizar o problema da estiagem e ajudam a movimentar a economia de Anta Gorda”, disse.
Conforme ele, todos os associados de Anta Gorda serão contatados pelo Sicredi, para verificar o interesse na prorrogação dentro dos prazos estabelecidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Como estamos em situação de pandemia que exige precaução e cuidado, não é necessário o associado vir até a agência para solicitar, faremos contato com o associado por meio do telefone ou WhatsApp”, salientou.
O gerente finalizou pontuando: “Entendemos que será um mecanismo importante de auxílio no restabelecimento de uma situação financeira mais favorável para boa parte de nossos associados. Tão importante quanto a possibilidade de prorrogação, percebemos, cada vez mais, a importância do seguro agrícola (Proagro) que auxiliou consideravelmente os produtores nesse momento delicado com a indenização de valores bastante representativos. Aproveitamos a oportunidade para reconhecer o esforço e a dedicação das entidades parceiras, tanto Sindicato dos Trabalhadores Rurais, quanto Emater que não mediram esforços para atender aos produtores nesse momento delicado”, concluiu.
O presidente do STR, Delmar Moresco, destaca que serão mais de 400 custeios e mais de 500 parcelas de investimento vencendo até o final do ano. “Não sabemos o percentual de renegociações que irão acontecer. Sempre orientamos nossos agricultores de somente renegociar a dívida, aquele que realmente passa por uma dificuldade e não tem condições de efetuar o pagamento ou que possa reinvestir esse valor na propriedade”, pontuou.
Moresco orienta produtores que possuam dúvidas quanto a esse processo. “Quem está com dúvidas pode nos procurar no STR. No Sicredi, a princípio, o produtor só tem que ligar para fazer a solicitação, e os aditivos serão feitos posteriores. Nos outros bancos é necessário entrar em contato para que seja feito o requerimento solicitando a renegociação. Alertamos para o prazo de solicitação de renegociação dos investimentos que vencem até o final de ano, pois tem que ser feitos até o dia 30 de junho no seu banco”, frisa.
Perdas
De acordo com ele, as maiores perdas no município são referentes ao milho e soja com mais de 50%, erva-mate com 20% e fumo com 30%. “As outras culturas ficam mais difícil de avaliar. No leite a queda foi de 20%, mas o produtor vai ter custo de produção maior em consequência de uma silagem de baixa qualidade”, considerou ao falar da importância da medida. “Esta medida vem para aliviar um pouco a situação de caixa dos agricultores, mas é uma dívida que tem que ser paga futuramente. Em meu ponto de vista, o maior benefício é esse valor que vai ficar mais tempo com o agricultor e girando no nosso município”, opinou.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Data de publicação: 12/06/2020

Compartilhe!