CLIQUE AQUI Confira as atrações turísticas, contatos e informações


No turismo, os olhares voltam-se às belezas naturais das Grutas Nossa Sra. de Lourdes, Nossa Sra. do Caravággio e Nossa Sra. Aparecida, além do Memorial da Noz Pecan, Chafariz da Praça Doutor Borges de Medeiros, Campanário da Paróquia São José do Patrocínio, Moinho Dallé, entre outros.

A Gruta de Nossa Sra. de Lourdes, fica no Distrito de Itapuca, há 14 km do Centro de Anta Gorda e é a maior caverna de pedra basalto do Vale do Taquari, encontrando-se entre as maiores da América Latina. Possui 30 metros de largura por 112 metros de comprimento e é totalmente iluminada. Anualmente, no segundo domingo do mês de fevereiro, realiza-se A Festa e Romaria em honra a santa que reúne milhares de fiéis de todos os estados e até de fora do Brasil. O local oferece infraestrutura e área de camping e serviço de copa e cozinha aos finais de semana.

Além da festa da gruta, anualmente ocorre em Anta Gorda a Semana Farroupilha, quando tradicionalistas e simpatizantes reúnem-se para manter viva a tradição gaúcha. Shows, homenagens e apresentações artísticas e culturais destacam a semana, que é marcada também pela culinária gaúcha e pela integração entre os munícipes e visitantes.

A religião católica é a mais tradicional no município e também mantém seu calendário. Entre as datas, destaca-se, na Sexta-feira Santa, a Via Sacra no Morro Girotto, com a encenação da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Esse é um dos mais belos espetáculos, encenado totalmente por aspirantes da comunidade. Jesus percorre um quilômetro de subida, acompanhado pelo público.

Em 2013, ocorreu a primeira edição da Noite Natalina na Praça. Promovido pela Administração Municipal, o evento, que pretende-se realizar anualmente, tem como objetivo resgatar valores mostrando a importância da união em família, do respeito, amizade e igualdade, conta com apresentações artísticas e show de fogos de artifício e ocorre em frente à Igreja Matriz da Paróquia São Carlos.

Os moinhos italianos também conservam riquezas que se destacam, sendo patrimônios da história da colonização italiana a região, encantam turistas que apreciam o trabalho manual e o charme dos detalhes rústicos. No município, localizam-se os moinhos Vicenzi e Dallé, que também fazem parte do Caminho dos Moinhos, cujo trajeto envolve outros quatro em um roteiro turístico na região.

 

NOZES E LEITE – UMA MISTURA DE DAR ÁGUA NA BOCA

Não é só na culinária que nozes e leite podem combinar, também na economia de Anta Gorda, os alimentos casam e fazem sucesso. Confira um pouco dessa história:

Na década de 70, Anta Gorda ostentou o título de capital nacional da noz pecan. Arminho Miotto, por volta do ano 45, leu um artigo sobre nogueiras e, por curiosidade, mandou buscar várias mudas em São Paulo. Assim, introduziu o cultivo, acreditando ser uma alternativa de renda aos produtores. Conforme registros da história, ele foi o primeiro incentivador da cultura no estado e as famílias que mantinham viveiros estavam muito bem colocadas financeiramente.

Anos depois, doenças começaram a atingir as nogueiras, fazendo com que a produção fosse deixada de lado. Nos últimos anos, os plantios foram retomados, embasados em variedades mais produtivas e resistentes, e a noz pecan voltou a ser evidência. Atualmente a cultura ocupa 300 hectares em produção e outros 700 em fase de crescimento. 90 mil kg de nozes são colhidas ao ano, estando 235 famílias envolvidas na produção.

A Agroindústria Pitol industrializa produtos à base de nozes pecan, atendendo aos turistas e ao comércio, em geral. Junto à agroindústria, está o Memorial da Noz Pecan que, desde que foi inaugurado, no mês de maio, cumpre seus objetivos chamando as atenções para a cultura de nozes e pela arquitetura, detalhes e beleza.

A cada dois anos, é realizado o Simpósio da Noz Pecan, que em 2016, ocorre em sua 4ª edição, paralelo à 6ª FestLeite, feira que evidencia o setor leiteiro do município. Foi em 2006 que Anta Gorda notou o potencial que o gado leiteiro oferecia para sua riqueza, quando ocorreu a primeira edição da FestLeite. O município, que levava nas nozes sua identidade, percebeu que o leite havia tomado espaço considerável para receber destaque. Sua comercialização vinha trazendo mais qualidade de vida e crescimento da economia. E com a mistura de nozes e leite, Anta Gorda criou sua vitrine.

Cerca de 600 famílias tem a produção de leite como fonte de renda, com o rendimento total de 22 milhões de litros ao ano. Números que não param de crescer, consequência de investimentos em genética, novas tecnologias e, principalmente, da força de vontade dos produtores. Muito tem que se fazer ainda, mas uma coisa é certa, Anta Gorda começa uma caminhada de destaque no cenário e já é referência na produção de leite do estado.

Compartilhe!